Entrevista com Mathieu Genoud, cofundador do jogo Golf VR

    Entrevista com Mathieu Genoud, cofundador do jogo Golf VR

    Comece nos contando sobre você. O que você estava fazendo antes de considerar a realidade virtual?
    Fui estudante de Letras e Comunicação na Sorbonne Nouvelle. Também sou autodidata em design gráfico desde pequeno.

    Você optou por embarcar na aventura. Por que realidade virtual?
    Já porque é fascinante. Mas também porque, como designer gráfico, posso mostrar-lhe os mundos que existem em mim. Agora, posso convidá-lo concretamente.



    Entrevista com Mathieu Genoud, cofundador do jogo Golf VR

    Antes de nos convidar, conte-nos um pouco sobre o seu jogo. O que é? Em que consiste isso? Qual é o alvo?
    Golf VR √© um jogo de golfe de realidade virtual em primeira pessoa. O princ√≠pio √© que jogamos golfe um pouco como se estiv√©ssemos realmente no ch√£o. O p√ļblico-alvo √© formado principalmente por entusiastas da realidade virtual, portanto, pessoas que j√° est√£o equipadas. A maioria deles s√£o homens, com idades entre 18 e 35 anos, que vivem principalmente nos Estados Unidos, Cor√©ia do Sul e Inglaterra.

    Quando você quer embarcar em um projeto como este, quem são os primeiros perfis a serem recrutados? Quantos de vocês estão trabalhando no jogo hoje?
    Somos dois trabalhando no jogo. O primeiro perfil é obviamente o desenvolvedor. Depois disso, você precisa de um designer gráfico, alguém que cuide de todo o aspecto visual do jogo.Além disso, eu faço o gesto, porque você tem que pensar que veremos tudo em volta. E alguém também para trabalhar no som e na direção do som.

    Uma vez que essa equipe esteja montada, quais s√£o as etapas para criar um jogo de realidade virtual?
    Não é muito diferente de fazer um videogame independente. Começamos com uma fase de prototipagem. Vemos se funciona ou não. Aí começamos a fazer o que chamamos de design iterativo, ou seja, implementamos coisas novas, testamos, vemos se funciona ou não, começamos de novo, até que se acredite que o produto seja viável para ser colocado no mercado.



    Entrevista com Mathieu Genoud, cofundador do jogo Golf VR

    E quais são as dificuldades que você teve que enfrentar para criar o Golf VR?
    A implementação do terreno foi bastante complicada. De quando foram desenhados até quando foram implementados, deve ter se passado quatro ou cinco meses. Há também o sistema de rodízio, que é muito importante em termos de jogabilidade e que exigiu muito trabalho do desenvolvedor, a quem também devo mencionar, Ludovic Feltz. Bem feito ! A interface gráfica e a experiência do usuário também estiveram no centro de nosso pensamento, porque tiveram que ser inventadas.

    O golfe sendo um esporte pouco praticado, por que escolheu este?
    Em primeiro lugar porque é um desporto cujas regras não pareciam, pelo menos, complicadas de implementar ao nível do desenvolvimento e da programação. Também porque existem alguns jogos de realidade virtual ao ar livre. Finalmente, sempre houve uma certa história comum entre o golfe e os videogames. Os jogos de golfe existem há quase tanto tempo quanto os videogames existem. No entanto, esses jogos não se destinam necessariamente a jogadores de golfe e não são necessariamente jogados por jogadores de golfe.

    Alguns aplicativos relacionados ao golfe de realidade virtual já existem. Como você planeja deixar sua marca neste setor com o Golf VR?
    J√° existem alguns, sim. Um deles foi lan√ßado em abril de 2016. Mas somos os √ļnicos no mercado de realidade virtual m√≥vel. J√° n√£o estamos t√£o mal colocados. Nossa vers√£o Cardboard j√° tem nada menos que 30 downloads. Acho que o SEO j√° fez seu trabalho.


    Entrevista com Mathieu Genoud, cofundador do jogo Golf VR


    Em termos de comunicação e marketing, como você planeja promover seu aplicativo Golf VR?
    Quando lançarmos nossa versão do Gear VR, colocaremos publicidade na versão Cardboard para solicitar a versão Gear VR. Também estamos em contato com uma startup, que é uma rede de publicidade de aplicativos de realidade virtual. Portanto, poderemos integrar publicidade em nosso aplicativo, mas também anunciar outros aplicativos. Então, vamos jogar muito nas redes sociais, então vamos ter que saber os lugares certos para falar sobre isso e saber como fazer campanha.


    Ultima quest√£o. Na sua opini√£o, que futuro para a realidade virtual?
    Na minha opini√£o, a realidade virtual obviamente tem futuro nos games, mas tamb√©m na telepresen√ßa em est√°dios e teatros. Do ponto de vista profissional, tamb√©m pode ter muito futuro com a telepresen√ßa em conselhos de administra√ß√£o, ou em profiss√Ķes criativas, profiss√Ķes de arquitetura, profiss√Ķes de design ... Para artistas, pode levar a uma verdadeira democratiza√ß√£o da modelagem 3D e pode simplificar anima√ß√£o e efeitos especiais. Por fim, se h√° uma ideia que gostaria de lan√ßar agora mesmo, prefiro falar sobre a gamifica√ß√£o das rela√ß√Ķes sociais com a realidade aumentada.


    Jogo disponível no Google Play



    Adicione um coment√°rio do Entrevista com Mathieu Genoud, cofundador do jogo Golf VR
    Comentário enviado com sucesso! Vamos analisá-lo nas próximas horas.