[Teste] RIGS Mechanized Combat League no PlayStation VR


resumo

  • Cen√°rio
  • gr√°ficos
  • Jogabilidade
    • Team deathmatch
    • Zona final
    • Powerslam
  • Soundtrack
  • Dur√©e de vie
  • Conforto visual
  • Nossa opini√£o sobre RIGS Mechanized Combat League

A Sony não economizou nos meios de tornar o lançamento de seu fone de ouvido de realidade virtual um evento. Na verdade, apesar do fato de que a tecnologia é nova em consoles domésticos, o fabricante japonês pode contar com suas equipes de desenvolvimento para impulsionar o PlayStation VR (veja aqui nosso teste do PlayRoom VR, por exemplo). Aqui, é a Guerilla Games, especialmente conhecida pela série Killzone, que pratica o teste de recursos do PlayStation VR. Portanto, os encontramos em seu gênero favorito, o FPS, em uma versão competitiva e online. Veremos nesta análise da RIGS Mechanized Combat Leaguesi que este jogo é bom o suficiente para justificar seu preço, que é quase o de um jogo de console clássico.



Tempo de vida: difícil de determinar
Jogadores: 1 local, até 6 online
Data de lançamento: 15 de outubro de 2016
Editor: Sony Computer Entertainment
Gênero: FPS / Sport
Plataforma: PlayStation VR

Cen√°rio

RIGS Mechanized Combat League coloca voc√™ em um futuro distante. Os confrontos entre mechs se tornaram um esporte popular sendo jogado em arenas que mostram as diferentes habilidades dos rob√īs. √Č neste contexto que incorporamos um piloto que se torna profissional no in√≠cio do jogo que corresponde ao in√≠cio de uma temporada. Posteriormente, este √ļltimo deve escolher o clube em que vai assinar para iniciar o campeonato. Na RIGS Mechanized Combat League, o enredo √© um pretexto para revestir o cora√ß√£o do jogo para um jogador que continua sendo as partidas contra as outras equipes da liga. Apesar de tudo, temos direito a um pequeno jogo de mec√Ęnica atrav√©s da escolha do seu clube (com uma refer√™ncia muito comovente ao Dragon Ball) ou da escolha de um patrocinador que nos imp√Ķe desafios que nos fazem ganhar dinheiro.



gr√°ficos

Graficamente, a RIGS Mechanized Combat League est√° no topo da cesta de jogos de lan√ßamento do PlayStation VR.. Na verdade, Guerilla Games √© conhecido por suas proezas t√©cnicas desde o primeiro Killzone no PlayStation 2. N√≥s nos encontramos em um universo gr√°fico que lembra em certos aspectos de jogos como Rocket League ou WipeOut, especialmente no n√≠vel da interface. N√£o h√° lentid√£o para assumir e a RIGS Mechanized Combat League quer ser muito fluida, mesmo quando a a√ß√£o √© fren√©tica, apesar de tudo, tudo lembra muito um jogo da gera√ß√£o anterior, mas continua muito limpo. Artisticamente, os mechs s√£o bastante impressionantes e revestidos de detalhes que refor√ßam a imers√£o. Online, a RIGS Mechanized Combat League pretende ser t√£o fluida quanto, e nenhuma perda de qualidade deve ser lamentada. Infelizmente, o design dos corc√©is mec√Ęnicos de nosso her√≥i n√£o √© variado e original o suficiente para marcar jogadores acostumados a aventuras futur√≠sticas.

Jogabilidade

√Č imposs√≠vel falar sobre a jogabilidade da RIGS Mechanized Combat League sem falar do tutorial inicial que por quase meia hora encher√° sua cabe√ßa. (em todos os sentidos do termo). Na verdade, o tutorial exige que voc√™ passe pelas proje√ß√Ķes de seu companheiro que o far√° testar v√°rios modos de controle ou at√© mesmo recursos como o modo de eje√ß√£o vis√≠vel ou invis√≠vel, que nos impulsiona em altura a cada morte (acredite, voc√™ far√° rapidamente se voc√™ se preocupa com seu c√©rebro). Na RIGS Mechanized Combat League, existem dois modos de controle principais, o modo b√°sico em que sua cabe√ßa direciona seu rob√ī e direciona suas armas, ou o modo que permite descarregar o controle do rob√ī no joystick certo. Muito mais preciso e bem pensado. RIGS Mechanized Combat League ocorre em arenas onde equipes de 3 competem entre si e onde cada morte traz um ponto para a equipe que matou. Um sistema de dash permite confrontos corpo a corpo, mas a maior parte do jogo √© baseada no sistema de energia onde voc√™ ter√° que atribuir uma alimenta√ß√£o por meio de um bot√£o no controlador. Existe uma op√ß√£o para aumentar sua velocidade, outra para aumentar o poder de ataques e uma √ļltima para se curar quando atacado por inimigos. As partidas acontecem em arenas com passagens e paredes secretas que permitem o desenvolvimento de estrat√©gias. Existem 3 tipos de jogo:



Team deathmatch

Nós nos encontramos em um time clássico de deathmatch onde você tem que matar seus oponentes para ganhar pontos para seu time.

Zona final

Uma modalidade que se assemelha a uma partida de futebol com uma bola que você tem que carregar para as gaiolas, você tem a possibilidade de dar passes aos seus companheiros se sentir que está rodeado pelos adversários, um pequeno lado bem pensado do esporte coletivo deve, portanto, ser observado.

Powerslam

Neste modo, temos a oportunidade de usar nossa propens√£o para matar em cadeia para desencadear uma f√ļria chamada Overdrive e que permite que voc√™ lance corpo e alma em um arco no centro do mapa como uma bola de basquete.

RIGS Mechanized Combat League ocorre em 4 mapas (Macau; Rio de Janeiro; Dubai; Nevada) que são relativamente diferentes uns dos outros, mesmo que a falta de variedade ainda seja sentida após alguns jogos. O modo single player convida você a entrar em um clube no início da temporada para participar do campeonato que alterna entre os 3 modos de jogo. o todo é mais ou menos controlado, mesmo que às vezes o nervosismo do todo exija um certo tempo de adaptação. Apesar de tudo, a jogabilidade pretende ser bastante impressionante para um jogo que lança um "dispositivo" totalmente novo. Na verdade, isso prova que podemos fazer uma jogabilidade nervosa em um jogo em realidade virtual em um console doméstico que deve incluir o controle e o PlayStation VR. Na Liga de Combate Mecanizado RIGS, o Playstation VR é realmente usado como um elemento de jogabilidade, na verdade o hub é realmente muito bem integrado e eventos aparentemente triviais como viagens aéreas após as partidas tornam-se ultra imersivos graças ao VR.



Soundtrack

A trilha sonora de RIGS Mechanized Combat League √© bem cl√°ssica. Temos m√ļsicas que se enquadram no padr√£o de games com tend√™ncias futuristas. Os efeitos sonoros s√£o bons, n√£o h√° muito o que relatar, nada chocante, mas nada revolucion√°rio. Nos fones de ouvido, o som √© espacializado e permite uma maior imers√£o no mundo do jogo. A dublagem do personagem apoiando voc√™ durante o tutorial √© irritante porque ele √© falante, mas √© encontrado na m√©dia dos videogames na Fran√ßa.

Durée de vie

O tempo de vida da RIGS Mechanized Combat League √© bastante dif√≠cil de determinar porque o aspecto multiplayer pode along√°-lo drasticamente. se voc√™ √© sens√≠vel ao jogo. Apesar disso, o jogo carece de conte√ļdo para seu pre√ßo. Na verdade, 60 ‚ā¨ para 3 modos de jogo e 4 mapas √© uma soma muito cara, especialmente no que diz respeito ao pre√ßo do equipamento (PlayStation VR + move + PlayStation Eye) a montante. O desafio solo n√£o √© trabalhado o suficiente para justificar este pre√ßo, apesar dos desafios dos patrocinadores (um patrocinador d√° desafios antes das partidas para ganhar alguns b√īnus). No final, o tempo de vida do t√≠tulo depender√° do seu desejo de repetir ou n√£o o t√≠tulo no modo multijogador ou n√£o.

Conforto visual

Em RIGS Mechanized Combat League A sensa√ß√£o de enj√īo √© bastante irritante durante os primeiros jogos, especialmente durante o tutorial, Voc√™ se acostuma com a velocidade do jogo rapidamente, em compara√ß√£o com outras experi√™ncias de realidade virtual menos nervosas. Apesar de tudo, √© preciso ter o cuidado de espa√ßar bem as pe√ßas, caso contr√°rio voc√™ experimentar√° uma tontura inc√īmoda. O jogo permanece leg√≠vel em qualquer caso e segue os movimentos do seu PlayStation VR.

Nossa opini√£o sobre RIGS Mechanized Combat League

Para concluir, RIGS Mechanized Combat League √© um bom jogo. Isso prova que voc√™ pode criar uma jogabilidade que √© ousada e leg√≠vel em um fone de ouvido de realidade virtual. Deve ser capaz de abrir o caminho para outros desenvolvedores que podem estender a vis√£o da Guerilla Games. Ainda assim, o pre√ßo de lan√ßamento √© muito alto para o conte√ļdo que est√° sendo vendido. Seria melhor aceit√°-lo por um pre√ßo baixo, dado o conte√ļdo raqu√≠tico que oferece. RIGSMechanized Combat League interessante de jogar porque um pouco como uma Eve Valkyrie, ele empurra os limites de um fone de ouvido de realidade virtual que algu√©m poderia pensar em um gadget.

Pr√≥ximo Anterior           Pr√≥ximo Anterior

Bons pontos

  • Jogabilidade muito bem pensada para PlayStation VR
  • Uma atmosfera futurista muito bem transcrita
  • uma dire√ß√£o art√≠stica muito polida
Pontos negativos
  • Muito caro para t√£o pouco conte√ļdo
  • Um tenaz enj√īo durante as primeiras partes
  • Um tutorial muito falante e longo

7.2

(votos)

Adicione um coment√°rio do [Teste] RIGS Mechanized Combat League no PlayStation VR
Comentário enviado com sucesso! Vamos analisá-lo nas próximas horas.